Bonaire se destaca entre os destinos do Caribe por causa de seus compromissos de longa data com seus recursos naturais, particularmente o Parque Marinho de Bonaire. A proteção das atrações naturais únicas da ilha – os recifes de coral, Klein Bonaire, Lac Bay e o parque nacional Washington Slagbaai – é o que torna essa ilha caribenha especial. É uma das razões pelas quais tantos se apaixonam por esse paraíso intocado.

Entendendo um pouco

Por muitas décadas, a proteção e a manutenção desses tesouros naturais caíram para a STINAPA, uma organização não governamental financiada significativamente pelas taxas de admissão cobradas dos usuários dos recursos naturais. Desde 2005, as taxas de admissão ao Parque Marinho de Bonaire permaneceram constantes em US $ 25 para mergulhadores e US $ 10 para outros usuários de água (praticantes de windsurf, kitesurf, etc.).

Infelizmente, enquanto a taxa de entrada permaneceu com seu valor sem reajuste, outros elementos que impactam os recursos naturais de Bonaire têm crescido, ou seja, a população da ilha, o número de visitantes anuais e demandas de provedores de serviços baseados em turismo, incluindo atividades terrestres e aquáticas.

O aumento da taxa

Para acompanhar o aumento do custo de manutenção, fiscalização e supervisão, o STINAPA fez vários pedidos ao governo da ilha (OLB) em 2018 para um aumento nas taxas de admissão. Juntamente com esses pedidos, de acordo com a STINAPA, eles também pediram ao governo que impusesse uma taxa de natureza a todos os turistas visitantes de cruzeiros.

Em 28 de novembro de 2018, a OLB finalmente agiu com base nos pedidos da STINAPA, aprovando um aumento na taxa de admissão para alguns usuários do parque. Os aumentos aprovados resultaram no seguinte: US $ 45 para mergulhadores e US $ 25 para outros, com as novas taxas a vigorar em 1º de janeiro de 2019. Embora inicialmente não incluídas no novo decreto de taxas do OLB, as passagens diárias de US $ 10 ainda estarão disponíveis .

Embora o aumento no preço possa ser inicialmente chocante, está de acordo com as realidades econômicas de hoje.