Comer, dormir e MERGULHAR !!! Não necessariamente nessa ordem 🙂 O sonho de todo mergulhador, mas como agradar todos os tipos de viajantes com essa experiência?

Queremos te dar uma ajuda para avaliar e escolher a sua melhor experiência compartilhando 4 dicas valiosas para você escolher um liveaboard.

Dica 1 – pense como se fosse um hotel

Pense em um liveaboard como se fosse um hotel, mesmo porque é ali que você vai passar o maior tempo da sua viagem. Alguns serviços podem fazer diferença como em qualquer hotel, é o exemplo do Aquacat que tem uma lavanderia a bordo. Mas além disso, eles também tem toda uma estrutura de atividades extra mergulho, ideal para levar quem não mergulha pois há passeios que podem ser feitos além dos mergulhos. Outro ponto é quanto ao conforto, por exemplo alguns barcos da frota da Nautilus Explorer possuem cabines amplas, dessalinizador a bordo e desenvolvem boa velocidade. Fique atento se liveaboard escolhido obedece às normas SOLAS, são normativas internacionais relacionada a segurança da vida humana no mar. Um bom living aboard consegue aliar o máximo em conforto e segurança!
Fuja de opções mais baratas que muitas vezes resultam em experiências traumatizantes. Um barco ruim é BEM pior que um hotel ruim, pois vc estará 24 horas confinado, além do fator segurança.

Dica 2 – a tripulação

Recentemente eu vi um review no site Tripadvisor onde um cliente reclamava de um dive master em um liveaboard. Na ocasião este DM (relato do cliente) estava mais preocupado com a sua nova câmera GoPro do que ficar atendo aos mergulhadores. Em um outro review, um DM dava mais atenção aos mergulhadores mais experientes. Infelizmente muitos liveaboards tem mão de obra “freelance” o que faz com que alguns profissionais não consigam pegar a essência da empresa e isso acaba refletindo em uma má prestação de serviços. Alguns liveaboards pelo mundo contam com staff fixo e isso é incrível, você perceba diferença. É o que acontece com o Galapagos Sky onde o staff (DMs, capitão, cozinheiros…) é fixo, são empregados da companhia que apresentam muita qualidade técnica e habilidade social!

Muitos barcos que não fazem parte de boas frotas muitas vezes usam mão de obra terceirizada, o que pode ser bem ruim.

Dica 3 – as rotas

Estar em um liveaboard é ter a oportunidade de mergulhar em pontos onde uma operação saindo da terra muitas vezes não conseguiria proporcionar. Estes mergulhos mais distantes muitas vezes guardam grandes surpresas como por exemplo as ilhas Guadalupe no México, famosas pelos encontros com os grandes tubarões brancos. Mas nem sempre o fato de estar em um liveaboard é a garantia de uma rota otimizada. Fique atento aos roteiros que otimizam a navegação e o mergulho. Se o ponto de mergulho é muito distante da costa, prefira um liveaboard que proporcione a travessia noturna, assim você poderá desfrutar dos mergulhos com os primeiros raios de sol.

Dica 4 – mergulhos (quantidade e qualidade)

É fato que ao escolher um liveaboard você busca uma experiência de mergulho muitas vezes baseada na quantidade de mergulhos diários. Este é um ponto super importante na escolha da sua “casa na água” pelo tempo que a viagem dura e uma coisa eu posso dizer, em muitos liveaboards quantidade está diretamente ligada com qualidade, coisa que no dia a dia pouco vemos relação. Dependendo do liveaboard você já consegue fazer um mergulho mesmo antes do café da manhã. Talvez mais uns 3 ou 4 durante o dia e um último mergulho a noite. Deu para notar que a quantidade de mergulho em um único dia é bastante, mas e a qualidade? Por serem em diferentes horários, estes mergulhos podem muitas vezes proporcionar experiências muito distintas e de qualidade.

Para fechar o tema qualidade, procure empresas que proporcionem boas rotas (como na dica 3) e onde você possa aproveitar o que há de melhor em cada mergulho. Um bom exemplo mais uma vez é o Galápagos Sky, com uma rota que proporciona os melhores pontos de mergulho com boa distribuição de tempos de navegação.

Para fechar o tema qualidade, procure empresas que proporcionem boas rotas (como na dica 3) e onde você possa aproveitar o que há de melhor em cada mergulho como amanhecer sobre o SS Thistlegorm, o naufrágio mais famoso o Mar Vermelho, evitando uma multidão de mergulhadores que costumam chegar ainda na manhã.

Opinião do André Valentim

Liveaboard “NON DIVER FRIENDLY”, recomendo o Aquacat!

Pensando em conforto eu recomendo o Belle Amie da Nautilus com 4 cabines diferentes.

A melhor rota, recomendo o Galapagos Sky.

Navegação clássica, recomendo a frota da Siren, os famosos veleiros de mergulho.

Mix de roteiros, com 7 liveaboards diferentes, recomendo a Master Liveboards.

Luxo ? Sem dúvida uma viagem para Raja Ampat no Solitude Adventurer.

Primeira experiência em liveaboard? Recomendo o Enterprise da Atlantis Divers!

Sobre André Valentim:

Nascido 1971, mergulhador desde os 14 anos de idade, formado instrutor em 1988, tendo sempre atuado na área de instrução de mergulho, com mais de 1200 alunos formados, e mais de 200 profissionais de mergulho formados.
Instructor Trainer DAN
Instructor Trainer TXR all levels
Instructor Certifier SSI
Instructor Trainer PAB
Technical Cave diver
CCR diver

Próximas viagens com André Valentim