Project Description

Situado no sul do Caribe, próximo da costa da Venezuela, Curaçao fazia parte das Antilhas Holandesas, cuja dissolução ocorreu em 2010, e se tornou um país autônomo. Dentre as ilhas ABC (Aruba, Bonaire e Curaçao), Curaçao é a que mais agrega mergulhos e passeios turísticos, tanto em praias quanto na cidade de Willemstad, sua capital. Foi uma escolha perfeita na ocasião: uma viagem com objetivo de relaxar, passear, aproveitar as praias, o “dolce far niente” e, já que estava lá, mergulhar, é claro! Hospedar-se em um resort com uma operadora de mergulho, a Ocean Encounters Curaçao,  foi uma ótima opção, pois era só acordar, tomar café da manhã e caminhar até o píer!

 

As opções de mergulho são inúmeras: naufrágios, recifes de corais e mergulhos profundos pelos recifes e paredes que circundam a ilha. A navegação é sempre curta, pois a parede de Curaçao está muito próxima da costa.

Dentre os pontos escolhidos pela operadora durante 4 dias de mergulho, vou destacar apenas alguns. O famoso Mushroom Forest, como o nome indica, possui formações de corais que parecem cogumelos e abrigam muitos peixes. Em Car Pile você encontra um cemitério de carros provenientes de uma tentativa frustrada de fazer um recife artificial, o que, na minha opinião, se tornou um lixão submarino. O Shipwreck Point pode ser apenas mais um mergulho de recife, mas se você descer a 50 metros, encontrará 2 pequenos rebocadores afundados lá. Uma excelente escolha é fazer o passeio até Klein Curaçao, uma pequena ilha situada a sudeste de Curaçao. A viagem dura 2 horas, mas uma maravilhosa praia de areia branca te aguarda na chegada! Um visual simplesmente paradisíaco! O mergulho é bem caribenho: um bonito recife, bem preservado e com correnteza moderada, mas não tive muita sorte com a vida marinha. No intervalo de superfície, vale saltar do barco, nadar até a praia e caminhar um pouco! Outro mergulho interessante, mas que não tive oportunidade de fazer, é o naufrágio Superior Producer. Na próxima vez não vou deixar de conferir!

 

 

PASSEANDO PELA ILHA

O centro histórico de Willemstad foi declarado patrimônio mundial pela UNESCO em 1997. O centro é dividido pelo canal em dois bairros: Punda, com a famosa fachada arquitetônica holandesa, diversas lojas, bares e restaurantes, e Otrobanda, com o camelódromo e o complexo do Hotel Renaissance, com grifes famosas, cassino e restaurantes. Otrobanda é onde se reúne a população local, mas também é onde os navios de cruzeiro atracam e despejam seus passageiros. Punda é bem turístico, mas possui bares e restaurantes que combinam melhor com o clima de Curaçao! Indico o restaurante Perla del Mar e o simpático e agradável bar de praia e restaurante Hemingway’s.

Uma excelente praia para passar o dia é Cas Abao, que além de maravilhosa, oferece toda a estrutura necessária. A praia fica no norte da ilha e é preciso pagar o valor de nafl. 10,00 a 12,50 por carro. Fique atento ao horário de funcionamento: das 8h às 18h!

A comunicação na ilha é interessante, pois se fala inglês, espanhol, holandês e papiamentu, o dialeto local. A moeda oficial é o Florin das Antilhas, mas o dólar americano é aceito em alguns locais.

O que acha de esta ser o seu próximo destino?